Recuo no Preço do Bitcoin Diminui Lucro dos Mineradores

O preço do bitcoin está mais de 50% abaixo do seu topo histórico e pode estar interferindo nos planos de ambiciosos projetos de mineração que inundaram o mercado.

A equipe de ciência de dados da Fundstrat Global Advisors desenvolveu um modelo de mineração de bitcoin que determinou que o nível de preço atual para o BTC está abaixo do limite para criá-lo de forma lucrativa.

“Atualmente, o Bitcoin é negociado essencialmente no ponto de equilíbrio da mineração de um bitcoin, atualmente em US$ 8.038, com base em um modelo de mineração desenvolvido por nossa equipe de ciência de dados”, segundo Sam Doctor e Ken Xuan da Fundstrat.

É uma situação incomum que o custo da mineração substitua o do próprio ativo, afirma a Fundstrat, sugerindo que o múltiplo atual representa um “vale” e que agora não é a hora de vender. A propósito, o múltiplo BTC de hoje está revisitando os níveis de 2015 quando estava em um “mercado de baixa”, de acordo com a Fundstrat. Naquela época, o preço do bitcoin era de apenas US$ 176,50.

Modelo Fundstrat

O modelo da Fundstrat tem três vertentes, levando em conta as despesas com máquinas, energia e o custo das despesas gerais, como os sistemas de resfriamento que impedem o superaquecimento dos servidores durante o processo de mineração, que é intensivo em energia.

“Em alguns casos, os mineradores podem simplesmente desligar as máquinas até que o preço volte um pouco. Podemos chegar ao ponto em que alguns deles podem estar perdendo dinheiro”, observou Shone Anstey, do Blockchain Intelligence Group, citado em um artigo da CNBC.

Riscos e Recompensas

Quando o preço está em alta, a mineração de bitcoin compensa. A Bitmain, ano passado, gerou entre US$ 3 bilhões e US$ 4 bilhões em lucros. As pools de mineração vinculados a Bitmain e BTC.com controlam mais de 40% da mineração de bitcoin.

E de acordo com o relatório da Fundstrat, os upgrades de equipamentos compreendem mais de 50% dos custos de mineração. Enquanto isso, o estrategista quântico da Fundstrat Sam Doctor baseou o cálculo para chegar ao preço mínimo do BTC em parte nos custos de energia de US$ 0,06 por quilowatt/hora.

Outra estimativa do custo de mineração

Em uma outra pesquisa feita pela Elite Fixtures, foi obtido valores um pouco diferente e bastante variaveis dependendo de qual país a mineração fosse realizada. O cálculo leva em conta, principalmente, o custo médio da energia elétrica.

A Venezuela é o país com menor custo de mineração no mundo: US$ 531 para extrair um bitcoin. Na ponta oposta está a Coreia do Sul, onde o gasto atinge exorbitantes US$ 26.170. No Brasil, são gastos US$ 6.741, enquanto nos Estados Unidos, US$ 4.758 – o que permite lucros, levando-se em conta a cotação do mercado, em torno de US$ 9.300.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *