Polícia Britânica Confisca Bitcoins de Acusado de Fraude

Um prestador de serviços de TI chamado Gabriele Pearson foi condenado a 15 meses de prisão pela corte inglesa de Guildford, na semana passada (28/3) de acordo com o site da polícia local Surrey Police. Ele foi preso por desvios de dinheiro seguidos de lavagem através de compras de Bitcoin. É a primeira vez que a autoridade inglesa recupera um produto de roubo em criptomoeda.

O crime aconteceu por meio de acessos não autorizados nos computadores das empresas que o cibercriminoso prestava serviços. Ele estava sendo investigado havia 4 anos anos. Pearson é da cidade de Slough, no Reino Unido.

De acordo com a polícia do condado de Surrey, na ocasião Pearson criou uma cadeia de acessos que o permitia conectar-se aos fundos das contas PayPal das empresas. Em posse dos fundos ele então os ‘lavou’ através da rede social Second Life adquirindo moedas exclusivas da plataforma chamadas Linden Dollars. Dessa forma, ele as trocava por Bitcoin sem levantar suspeitas. Até o momento da prisão o criminoso possuía 9,9 BTC, aproximadamente R$ 230 mil.

As investigações aconteceram com uma ação conjunta das polícias especialistas em crimes cibernéticos dos condados de Surrey e Sussex. Pearson foi preso por deixar pistas ao interagir em fóruns da internet onde ele procurava por conselhos sobre Bitcoin. Assim, ele pôde ser rastreado pela polícia.

Confisco dos Bitcoins

Os Bitcoins foram confiscados e estão sob a proteção da justiça até que sejam decididos os trâmites de como será a devolução dos valores às vítimas, de acordo com a lei vigente de crimes econômicos.

Paul Constable, policial que liderou a investigação detalhou a operação:

“Gabriele Pearson cometeu seus crimes remotamente acessando computadores dos seus clientes por uma cadeia de logins bem complexa criada intencionalmente para roubar. Assim ele acessou as contas das empresas e fez a lavagem com Bitcoin através da rede social Second Life. Ele ainda preparou a conta para aceitar quantias maiores de dinheiro, mas seu crime foi notado enquanto ele esperava pela confirmação do PayPal. Ele tinha em seu domínio documentos roubados anteriormente que o permitia transações e autenticações nas contas”.

O chefe de polícia das duas divisões de Detecção de Crimes Cibernéticos, de Surrey e Sussex, Rob Walker também se manifestou:

“Temos orgulho de estar entre as primeiras Forças do país a dar esse passo. Que sejam muitos… Os criminosos estão atuando cada vez mais na internet. As pessoas têm que tomar cuidado com seus dados pessoais”.

Walker também aconselhou:

“Da mesma forma que você não deixaria a porta da frente aberta para um ladrão, também precisa manter seus dados seguros na Web. Você pode fazer isso com senhas fortes, não dar muitos detalhes sobre sua vida pessoal e manter seus softwares de segurança atualizados”.

Um porta voz do Conselho Real transmitiu elogios diretamente aos policiais e também ao especialista em Direito Criminal, Richard Elliot, pela eficiência numa investigação tão complexa.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *