Pesquisa: Americanos Estão Escondendo Ganhos com Bitcoin no Imposto de Renda

Embora o custo tributário das criptomoedas tenha sido considerado um fator de pressão sobre as cotações recentemente, é possível que poucos contribuintes nos Estados Unidos declarem seus ganhos com Bitcoin. O prazo para a entrega do imposto de renda americano termina na terça-feira (17) e o número de declarações que incluem moedas digitais é insignificante, segundo uma pesquisa recente.

De acordo com a Credit Karma Tax, que opera um software de preparação de declarações, menos de 100 dos primeiros 250 mil dos informes analisados refletiram ganhos ou perdas decorrentes de transações com criptomoedas.

O que, na análise da Credit Karma, é um nível muito baixo – principalmente se comparado ao tamanho do mercado, de US$ 590 bilhões, e ao fato de 5% dos americanos afirmarem possuir criptomoedas, de acordo com pesquisa da TechCrunch.

Os dados são alarmantes, pois espera-se que os americanos devam US$ 25 bilhões em ganhos de capital alimentados por criptomoedas somente no ano fiscal de 2017, avaliou Thomas Lee, da Fundstrat, segundo reportagem do portal CCN.

Para ele, se as descobertas de Credit Karma se confirmarem, muitas pessoas poderão se complicar diante da Internal Revenue Service (IRS), a agência tributária federal americana. A Fundstrat prevê que quase um terço dos participantes do mercado de criptomoedas estejam baseados nos EUA.

Bitcoin como propriedade

O site Coindesk explica que o Fisco americano considera o bitcoin e as demais criptomoedas como propriedade. Isso quer dizer que os investidores que venderam ativos em 2017, sejam com ganhos ou com perdas, precisam relatar essas transações no Formulário 8949.

Jagjit Chawla, gerente geral do Credit Karma Tax, deu aos contribuintes o benefício da dúvida. Segundo disse à CNBC, é possível que, diante da complexidade, muitos investidores estejam esperando até o último minuto.

O problema é que os investidores estão no radar do Fisco. Recentemente, a exchange Coinbase divulgou ter entregado milhares de registros à IRS. Na ocasião, a agência tributária rastreava contas que negociaram mais de US$ 20 mil nos anos fiscais de 2013 a 2015.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *