Coreia Do Sul: 14 Detidos Por Minerarem Bitcoin Com Eletricidade Subsidiada Ilegalmente

As autoridades sul-coreanas detiveram 14 pessoas envolvidas em operações de mineração de Bitcoin esta semana, sob suspeita de “violarem a lei de acumulação industrial e estabelecimento de fábricas.”

De acordo com a Polícia Metropolitana da província de Gwangjiu, os indivíduos foram detidos pois as suas operações de mineração estavam utilizando eletricidade subsidiada de forma ilegal desde maio de 2017. Este subsídio permitiu que as respectivas empresas se aproveitassem de um desconto de 10% na eletricidade.

Segundo a agência de notícias local Yonhap, sabe-se foram usadas entre 100 e 350 máquinas para minerar por 13 empresas consideradas cúmplices do crime.

No texto da Yonhap lê-se:

“Essas empresas foram capazes de usar eletricidade a um preço 10% menor do que o cobrado para fins gerais, além de alugar o espaço da fábrica a um preço baixo.”

Apesar de terem sido detidas 14 pessoas associadas à operação de mineração ilegal, as autoridades adiantaram que em princípio nenhuma sofrerá punição severa.

Corrida pelo Bitcoin

Este é o último caso que ilustra uma “corrida ao ouro” na mineração de criptomoedas. No mês passado, cerca de 600 computadores usados para minerar bitcoins foram supostamente roubados na Islândia, num dos maiores assaltos que o país do Atlântico Norte alguma vez viu.

Como reportado pelo Portal do Bitcoin, a Coreia do Sul pode estar prestes a anunciar regras para a tributação de criptomoedas. Em princípio, estas regras devem ser anunciadas pelo Ministério das Finanças do país asiático até fins de junho.

Em análise, por enquanto, está a possibilidade de cobrar impostos sobre o ganho de capital obtido em transações de criptomoedas, bem como potenciais formas de tributar todo o nicho de moedas digitais.

É de salientar que o won sul-coreano (KRW) representa um dos maiores mercados de Bitcoin, sendo que, de acordo com o portal CryptoCompare, o won sul-coreano representou 2,99% do volume de trocas nas últimas 24 horas.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *