Chefe do FMI Sobre Bitcoin: “Precisamos Combater Fogo Contra Fogo”

Christine Lagarde, diretora-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI) disse que as autoridades em todo o mundo poderiam aproveitar o potencial da tecnologia do bitcoin também para combater crimes. Caso isso não aconteça elas serão um “novo veículo potencialmente facilitador de lavagem de dinheiro e terrorismo”.

Lagarde disse no blog do FMI que a inovação que fomenta as criptomoedas pode ser ajustada também para regulá-las.

“É preciso combater ‘fogo com fogo’! Podemos aproveitar a inteligência desse novo recurso assegurando que criptomoedas nunca façam parte de um paraíso anônimo de atividades ilegais ou se transforme numa fonte de vulnerabilidade financeira”.

A diretora-chefe disse, também, que essas novas tecnologias, incluindo as blockchains, são avanços emocionantes e que podem ajudar a modernizar os serviços financeiros, como os métodos de pagamento com baixo custo para aqueles que não possuem uma conta bancária. Porém, ela citou os perigos do anonimato:

“A tecnologia que permite transações globais instantâneas poderia ser usada para criar registros de informação padrão e verificada do consumidor junto de assinaturas digitais”.

Modelo seguro

Isto sugere, segundo a Época Negócios, que dados biométricos, inteligência artificial e criptografia podem “melhorar a segurança digital e identificar transações suspeitas quase em tempo real”. Para Lagarde, isso ajudaria os agentes da lei a agir rapidamente para interromper operações ilegais.

“Descartar as criptomoedas não seria um ação prudente. Devemos acolhê-las em seu potencial, mas reconhecer seus riscos”, disse a diretora.

Christine Lagarde tem muita experiência no mercado financeiro e é uma das figuras no mundo que tem muita propriedade para emitir um aviso como esse. Sua tese é aceitar a inovação e regulá-la de modo seguro para todos.

Investidores e entusiastas asseguram que o Bitcoin é a tecnologia que tem melhor potencial de tornar os pagamentos diários mais fáceis e baratos. Ainda assim, muitos economistas ainda se referem às criptomoedas como uma bolha especulativa perigosa.

Christine falou que as criptomoedas podem fazer com que novas instabilidades se desenvolvam no sistema financeiro mundial, devido a seu rápido crescimento e mudanças inconstantes nos preços.

O Bitcoin, a primeira e mais conhecida das criptomoedas, chegou a valorizar mais de 900% no ano passado e atingiu quase US$ 20 mil (na ocasião 70 mil reais aproximadamente) por unidade antes do Natal, mas já caiu em menos de metade disso.

Outros economistas

O comandante do Banco da Inglaterra, Mark Carney, disse no início deste mês que oBitcoin enfrenta uma repressão regulatória, mas elogiou o potencial da tecnologia. Ele disse que a anarquia não poderia reinar nesse novo segmento e que as criptomoedas, até então, não cumpriram sua função mais básica, como o dinheiro.

A instituição britânica apresentará um relatório ao G20 na Argentina este mês, com Carney sugerindo maior controle e explicando como o banco central pretende usar o novo sistema de pagamentos no Reino Unido. Carney disse, no entanto, que é improvável uma ação em nível mundial de regularização e que isso deve ir acontecendo de país em país.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *