Bitcoin se Aproxima de US$ 10 Mil no Zimbábue

De acordo com o TheNational.ae, a adoção do bitcoin no Zimbábue está em alta à medida que a situação econômica do país fica sombria. Tanto é, que um bitcoin está negociando a quase US$ 10.000 na exchange Golix.io, enquanto a média global é de US$ 5.642,00 no momento.

De acordo com um invstidor local, o bitcoin não está apenas sendo comprado por indivíduos, mas por empresas com contas a pagar. O país adotou o dólar americano em 2009 como sua moeda fiduciária, já que o dólar zimbabuense havia perdido quase todo seu valor.

No momento de imprensa, no LocalBitcoins Zimbabwe tem pessoas comprando bitcoin na média global, e alguns comprando a criptomoeda por mais de US$ 10.000 na capital do país. O Bitcoin, como esperaria qualquer fã da moeda, está ajudando as pessoas no país a sobreviver em tempos de incerteza econômica, já que o Zimbábue está envolvido em uma crise há anos.

Por que Bitcoin é tão valioso no Zimbábue

No início dos anos 2000, de acordo com a publicação, o presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, encorajou os cidadãos a invadir fazendas de propriedade principalmente de descendentes do Reino Unido. Após essas invasões, a agricultura do país entrou em colapso, o que levou o Banco Central do Zimbábue a ficar sem dinheiro.

Em meados dos anos 2000, o banco decidiu imprimir dólares zimbabuenses para pagar o exército, funcionários públicos e policiais. A impressão em massa de dólares, como seria de esperar, levou a hiperinflação.

O problema ficou tão ruim que as pessoas carregavam de pilhas de dinheiro sem valor e logo começaram a acumular bens para usar como meio de troca. Então, em 2009, Mugabe cedeu e substituiu o dólar zimbabuense pelo dólar americano para se livrar da hiperinflação.

Funcionou e os preços se estabilizaram, mas desde que o Banco Central do Zimbábue não pode imprimir dólares americanos, o país agora os importa para levá-los ao sistema financeiro. Falando em uma publicação local, o presidente do banco central, John Mangudya, afirmou:

“Sim, importamos dinheiro quase todas as semanas e agora estamos importando US$ 10 milhões semanalmente. Quando dizemos que importamos dinheiro, dizemos que importamos dólares, porque queremos continuar usando o dólar nesta economia.”

Então, com as intenções de nacionalização, as exportações começaram a desmoronar e agora, de acordo com a Bloomberg, os bancos racionam dólares para apenas US$ 20 por pessoa, independentemente da quantidade de cada indivíduo em sua conta bancária. Alguns até dormem fora dos bancos para garantir notas antes que elas esgotem.

O banco central do país, para corrigir o problema, começou a emitir as chamadas notas obrigatórias que supostamente têm o mesmo valor que o dólar americano. A maioria das pessoas não as aceita, uma vez que os fornecedores estrangeiros se recusam a aceitá-las, e algumas empresas cobram ágio de até 50% para aceitá-los.

De acordo com o economista Vince Musewe, o problema no Zimbábue hoje não é a falta de bens para comprar, mas a falta de dinheiro para fazê-lo – exatamente o oposto do que era quando a crise do país começou inicialmente. Ele afirmou:

“Então, havia muito dinheiro, mas nenhum produto nas lojas. Agora, há produtos nas prateleiras, mas não há dinheiro para comprá-los”

Para escapar da crise do país, os zimbabuenses agora estão se voltando para uma moeda que não irá decepcioná-los como as moedas fiat: o bitcoin.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *