Bitcoin Não é o Novo Ouro, Diz Goldman Sachs

O Goldman Sachs afirmou em uma nota aos seus clientes que os metais preciosos “continuam sendo uma classe relevante de ativos nas carteiras e que criptomoedas como o Bitcoin, não são o “novo ouro”.

Ele detalhou os benéficos de se ter ouro em seu portfólio:

…O uso de metais preciosos não é um acidente histórico – eles ainda são a melhor reserva de valor a longo prazo dos elementos conhecidos…

Porém também comentou sobre o momento de alta vivido pelas criptomoedas, onde muitas pessoas chamam de “ouro digital” por ter uma oferta limitada e muitas vezes ter um aumento de preço relacionado a tensões geopolíticas.

Além disso ela diz que o bitcoin não é uma boa reserva de valor perto do ouro:

O ouro vence as criptomoedas na maioria das principais características do dinheiro.

Analistas disseram que as carteiras digitais, onde são armazenadas criptomoedas, são vulneráveis ​​a hackers e e criptomoedas também sofrem riscos regulatórios, citando a China como exemplo que recentemente proibiu as exchanges de operar e baniu os ICOs.

Goldman também disse que as criptomoedas estão sujeitas a riscos referente a sua rede ou infra-estrutura durante uma crise.

Também cita o exemplo dos hard forks, comentando sobre possíveis divisões da blockchain.

Embora o Bitcoin possa ser dividido em unidades muito menores, o Goldman Sachs cita a taxa média de transação do como um fator alarmante. (Lembrando que as taxas diminuíram drasticamente desde o meio do ano e a implementação da SegWit)

O banco de investimento disse que o ouro não está sujeito à concorrência de alternativas. O Bitcoin, por outro lado, concorre direta ou indiretamente com centenas de outras criptomoedas.

E, finalmente, Goldman disse que o ouro “é claramente melhor em manter seu poder de compra e tem volatilidade diária muito menor”. A nota dizia que a volatilidade do bitcoin era em média quase sete vezes a do ouro em 2017.

O preço do ouro no subiu 10% este ano. Enquanto isso, o Bitcoin cresceu mais de 400%.

“Criptomoeda não são o “novo ouro”, apesar da popularidade recente”, concluiu o Goldman Sachs.

Via Portal do Bitcoin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *